.

 

  NOSSAS SEÇÕES
  24 Horas
  Papo de Mídia
  Academia Esportiva
  O Jogo da Minha Vida
  Papo Especial
  Sites Parceiros
  Anuncie Aqui

PAPO DE MÍDIA - RETROSPECTIVA 2007

Record 2007

A Record decidiu partir para o ataque em 2007. Disputou quase todos os grandes eventos com a Globo, perdendo a maioria (muitos deles com valor inflacionado por conta do interesse recordiano), mas obtendo boas vitórias. Nos Estaduais, assegurou os Campeonatos Catarinense, Baiano, Sergipano e Paraibano, além da Copa ES, o Carioca de Futsal e, para 2008, os Campeonatos Alagoano e Candango. Na Record Internacional, manteve o Campeonato Paulista e a Copa do Brasil. Mas as grandes vitórias foram as conquistas da Eurocopa, cuja aquisição só foi confirmada depois de meses e meses de especulações, e especialmente os Jogos Olímpicos de Londres 2012 (mais os de Inverno de Vancouver 2010). Estes eventos foram adquiridos com exclusividade para todas as mídias. Nos Estaduais, profissionais da rede inativos ou pouco acionados em nível nacional trabalharam ativamente. Em Santa Catarina, a maioria dos jogos foi feita por Maurício Torres, Raul Plassmann, Oscar Roberto Godói, Fernando Nardini e Mônica Ramos. E na Bahia, Éder Luiz e Oliveira Andrade narraram muitas partidas.

Em termos de profissionais, foi um ano de muitas chegadas. A TV Mar, de Santos, teve a chegada da repórter Lara Mota, ex-Record/SP. Em Minas, chegava Mara Pinheiro, egressa da Band Minas. Em Porto Alegre, a equipe era reforçada por Luciano Fechner, ex-RBS, e Bernardo Armani, da Rádio Guaíba, estreando no esporte, além do experientíssimo repórter Luiz Carlos Reche ser lançado como apresentador do "Balanço Geral". Em Santa Catarina, Márcio Martins chegava para narrar e apresentar o "Esporte Record". No Rio de Janeiro, Addison Coutinho deixava a reportagem para ser coordenador esportivo local. Na reposição, vieram Raquel Carneiro (ex-Sportv) e Marco Sperotto Jr. (ex-RBS). Também ex-RBS, Ana Paula Gomes chegava para o jornalismo geral. Ainda do Rio, Evaldo José, da Rádio CBN, transmitiu alguns eventos pela Record Internacional. E em São Paulo, Roberta Piza era fixada no bloco esportivo do "Fala Brasil".

Só que, se muita gente chegou, muita gente saiu. E perdas consideráveis. A primeira, em Janeiro, foi Renata Fan, agora na Band. Sua saída acarretou uma série de mudanças nos programas que dividia com Milton Neves. No "Terceiro Tempo", Renata Cordeiro assumiu seu lugar, passando a fazê-lo em São Paulo e não mais no Rio de Janeiro. No "Debate Bola", a substituta foi Débora Vilalba. A missão mais complicada foi no "Golaço", da Rede Mulher. Débora foi tentada por alguns dias, depois Cléo Brandão apareceu em alguns programas, mas quem durou mais tempo - embora nem tanto assim - foi Cris Massaneiro, estreando no segmento esportivo e mais conhecida como a estagiária Cris da revista VIP e participante do "Lindas e Perigosas" do "Melhor do Brasil". Após a saída da Cris, o "Golaço" não voltou a ter uma co-apresentadora, sendo apresentado apenas por Milton Neves ou Fábio Sormani, sempre sozinhos.

Além de Renata Fan, mais baixas foram registradas na Record. No mesmo período saíram o repórter Lívio Lamarca, fora do ar desde então, e Neto, que também foi para a Band e, nas transmissões de futebol europeu, foi substituído por diversos ex-jogadores (Élber foi fixado para 2007/2008). Na retaguarda, saíram Mário Quaranta, também para a Band, e Cacá Martins, para a RedeTV!. Segundo o colunista Flávio Ricco, Cacá teria sido demitido ao atender uma ligação do presidente Alexandre Raposo e, achando ser um trote, chamá-lo de tudo. O jornalista negou a versão. Após o Pan, um princípio de limpa em massa causou um clima de apreensão. Seis profissionais de retaguarda foram demitidos. Osmar de Oliveira e Oscar Roberto Godói fecharam um quinteto dos que foram para a Band. Carolina Soares também deixou a Record, assim como Marília Ruiz, que havia retornado à emissora no começo do ano.

Por falar na Marília, ela protagonizou dois incidentes. Em Abril, foi agredida na confusão armada pela torcida do Corinthians, indignada pela eliminação da Copa do Brasil para o Náutico. Mas a de Fevereiro ganhou todos os noticiários, quando insistiu para entrevistar Emerson Leão e ele retrucou grosseiramente. Para defendê-la, a Record pegou no pé do treinador, embora o trabalho da repórter também tenha sido alvo de muitas críticas do público. Já em Novembro, o "Terceiro Tempo" recebeu Homero Lacerda, presidente do Sport em 1987, que falou da briga com o Flamengo pelo título de 20 anos atrás. Renata Cordeiro, para defender o Fla como legítimo campeão, citou como fonte o livro "Urubu", do flamenguista Henfil. O vídeo do programa explodiu de acessos no YouTube. Durante o Pan, Renata protagonizou uma cena engraçada, ao ganhar de Wagner Montes uma serenata durante o "Balanço Geral" da Record Rio.

Milton Neves foi o centro das atenções a partir de Agosto, quando anunciou que seus dois programas sairiam do ar enquanto não saísse uma decisão sobre a aquisição do Campeonato Brasileiro, disputado pela emissora com a Globo. Após uma enorme repercussão, a Record voltou atrás na decisão inicial e decidiu mantê-los. No entanto houve prejuízos. Cada vez mais tardio, o "Terceiro Tempo" passou a iniciar à meia-noite, sendo reduzido para apenas uma hora de duração. O ápice desta situação foi no domingo da estréia do Brasil nas Eliminatórias, quando o programa foi exibido à 1 da manhã devido a atrasos promovidos na grade por conta do atraso em Colômbia x Brasil, exibido pela Globo. No começo de Dezembro, o "TT" e o "Debate Bola" saíram do ar devido às férias de Milton, com a promessa - não assegurada, segundo informações de bastidores - de retorno para Janeiro. No lugar do "Debate" estreou o "Balanço Geral". Por último, Milton cometeu uma gafe no amigo secreto do "Hoje em Dia", deixando Márcio Garcia sem presente e chamando-o de "Marcos Garcia".

Ainda em relação à programação, o "Vídeo Gol" foi um programa de fases em 2007. De exibição local para São Paulo até o final do ano anterior, ganhou a rede nacional a partir de Janeiro. No entanto, a saída de Neto pesou e, em Abril, o programa saiu do ar. Mas foi por pouco tempo, pois regressou em Maio - porém, no começo da manhã, após a programação da Igreja Universal, e falando somente dos eventos exibidos pela Record (Liga dos Campeões, Copa UEFA e Pan). Em Novembro, saiu de vez, dando lugar ao "Fala Brasil". O "Esporte Record" também teve três extinções: em Fevereiro, da edição nacional (o que acarretou em mudanças no "Debate Bola", que abrigou o noticiário e, por não ter aumentada sua duração, teve reduzido o debate); em Junho, da edição carioca; e em Novembro, da edição mineira. Para compensar, em Setembro houve a estréia da edição gaúcha, apresentada por Kellen Caldas, em sua estréia no esporte, acompanhada do experiente comentarista João Garcia. Em Julho, a Rede Mulher exibiu o último "Golaço" inédito. O canal foi extinto e sucedido pela Record News, que estreou um informativo diário em duas edições, com Fernando Nardini e Maurício Torres, apresentador também do programa dominical.

A nova emissora foi a única a acompanhar com mais afinco a tragédia da Fonte Nova, enquanto as grandes redes falavam apenas por alto na notícia. Mas algumas outras coberturas chamaram a atenção, por relação direta a interesses da Record em sua briga pela aquisição de campeonatos. Em Janeiro, fez diversas reportagens contrárias a jogos às 21h45min, num ataque direto ao horário usado pela Globo para não prejudicar demais a novela das oito. Em Julho, Alberto Dualib conseguia na Justiça a proibição de matérias de Fábio Pizzato sobre irregularidades na administração do Corinthians - clube que se posicionou favorável à Globo na disputa pelos direitos do Campeonato Paulista. Mais adiante a proibição cairia e as matérias iam ao ar. E neste fim de ano, a série "Futebol em Xeque", do "Jornal da Record", pegou forte em problemas do futebol brasileiro. Destaque para reportagem de Andréa Beron sobre falcatruas de Ricardo Teixeira, o que pode ser interpretado como uma reação a um favorecimento à Globo na briga pelos direitos do Campeonato Brasileiro. A rival da Record também foi batida em matéria de André Rohde, sobre os clubes grandes só jogarem o Campeonato Carioca de 2008 na Capital.

2007 foi um ano de expansões na rede. A emissora finalmente entrou na grade de canais da Sky, ampliando seu público na TV paga (especialmente o "Debate Bola", em canal aberto exibido apenas para São Paulo). Foram obtidas duas vitórias sobre o SBT: em Setembro, a TV A Crítica passou a exibir a Record no lugar da TV Manaus, que fez o vice-versa; e no mês seguinte, foi anunciada para 2008 a aquisição da Rede SC. Não houve sucesso, no entanto, na aquisição da TV Alterosa, que permanece sendo o SBT em Minas Gerais. Mas foi em Fevereiro que a mais importante novidade do segmento aconteceu, com a aquisição da TV Guaíba, transformada em Record/RS. Porto Alegre deixava de ver a emissora por uma afiliada (a Pampa, que nunca atendeu a pleno aos interesses da rede) para vê-la através de uma emissora própria, lançada em Julho com direito a uma grande festa, coberta pelo Papo de Bola. A primeira matéria esportiva da nova emissora, exibida no "Terceiro Tempo", foi de Internacional x Atlético Mineiro. Quem fez foi Andrei Rossetto, do jornalismo geral.

Mas o ano foi marcado pelos Jogos Pan-Americanos. Quase toda a equipe foi deslocada para o Rio de Janeiro. O "Terceiro Tempo" quebrava seu expediente habitual e também dedicava-se ao evento, assim como o espaço do "Debate Bola" era preenchido por um boletim do Pan, exibido em rede nacional. Porém, apesar de todo o pessoal mobilizado, pouco se viu em termos de transmissões - aqui no Brasil, pois a maioria delas foi exibida na Record Internacional. A maioria das coberturas era no espaço do "Programa da Tarde". O "Hoje em Dia" sofreu um mínimo de interferências, e "Vidas Opostas" não saiu do ar nem mesmo para as decisões do vôlei. O ápice foi na final do basquete masculino, transmitida para a rede, menos para São Paulo, que manteve a programação normal do horário: o desenho "Pica-Pau", que deu bastante dor de cabeça para o "Esporte Espetacular", da Globo, neste ano.

Outros destaques

Bom dia!
- Em Abril, Paulo Roberto Martins foi despertado em rede nacional por Luciano Faccioli durante o "Hoje em Dia".

Global artística - Lica Oliveira, que em 2006 cobriu a licença-maternidade de Glenda Kozlowski no "Esporte Espetacular" e ficou sumida um tempo, reapareceu como atriz, com uma participação especial na novela "Alta Estação".

Pornográfica - Em Agosto, Leão Lobo detonou Débora Vilalba em sua página, dizendo que a cada dia ela estava mais peituda e com caras e bocas dignas de programa erótico no "Debate Bola".

Tô de olho - Rebaixado para a Série B, o Corinthians acena com a possibilidade de uma negociação individual de suas partidas na competição. A Record abriu o olho tanto para isso quanto para aquisição da competição inteira.

Confira também:
Plantão médico e obituário
Furos furados
Outros destaques

ÍNDICE DO PAPO DE MÍDIA

 

PAPO DE BOLA - O SITE Desde 2/6/2003 Jogue junto com este time!
Criação, produção e edição: Edu Cesar - E-mail/MSN: papodebola@gmail.com

.